CEO da Safemoon à beira de perder representação legal devido à falta de fundos

John Karony, CEO da falida empresa de criptografia SafeMoon, sofreu um revés em sua defesa legal após a decisão de seus advogados de se retirarem do caso. Karony está atualmente enfrentando acusações criminais por conspiração para cometer fraude eletrônica, lavagem de dinheiro e fraude de valores mobiliários nos EUA.

Os advogados de Karony apresentam pedido de retirada

Petrillo Klein & Boxer, advogados de Karony, entraram com outra moção para retirar-se do cargo de advogado do réu devido à “falta de fundos para pagar por um advogado particular”. Os advogados já haviam entrado com uma petição datada de 22 de janeiro de 2024, onde fizeram o mesmo pedido por falta de recursos do seu cliente para pagar pelos seus serviços.

Em seu processo mais recente, os advogados destacaram que Karony conseguiu outro advogado por meio da Lei de Justiça Criminal. O juiz Eric Komitee, em sua resposta à moção inicial de Petrillo Klein & Boxer, mencionou que o não pagamento de honorários advocatícios não era base suficiente para permitir a retirada de um advogado da representação.

No entanto, ele acrescentou que o tribunal consideraria e “provavelmente concederia” a moção se os advogados de Karony conseguissem outro advogado para o réu. O juiz Komitee ordenou especificamente aos advogados que ajudassem Karony a solicitar um advogado através da Lei de Justiça Criminal, caso ele não pudesse pagar pela sua defesa.

O que levou à incapacidade de Karony de pagar honorários advocatícios

Em sua moção inicial, Petrillo Klein & Boxer mencionou que a SafeMoon concordou em indenizar seu CEO pelos honorários advocatícios devidos à empresa. No entanto, a empresa criptográfica não cumpriu as suas promessas e posteriormente pediu falência.

Os advogados também revelaram que receberam uma taxa de retenção limitada, que foi paga em nome de Karony, mas o valor foi esgotado até o momento pelos honorários advocatícios.

Além disso, o governo confiscou os lucros das vendas da casa de Karony em Utah, tornando mais difícil para o CEO da SafeMoon pagar honorários advocatícios à empresa. Como tal, vendo que o seu cliente não tinha meios de pagar, Petrillo Klein & Boxer observou que “não tiveram escolha senão retirar a representação de Karony”.

CEO da Safemoon à beira de perder representação legal devido à falta de fundos
Karony’s Lawyers Secure His Bail

No que pode ser o seu último ato como advogados de Karony, Petrillo Klein & Boxer conseguiram garantir a fiança de Karony. De acordo com um relatório da Law360, o CEO da SafeMoon foi libertado sob fiança de US$ 3 milhões em 9 de fevereiro e condenado a morar na casa de seus pais em Utah.

As condições da fiança incluem monitoramento cibernético e eletrônico e a proibição das atividades promocionais de criptografia de Karony.

Os promotores bloquearam inicialmente a libertação de Karony no ano passado, quando conseguiram que um juiz distrital de Nova York suspendesse a ordem de liberação de fiança do réu. Em seguida, eles argumentaram que Karony representava um risco de fuga e tinha meios financeiros substanciais para escapar da fiança. Eles também acrescentaram que sua libertação representava um “perigo contínuo para a comunidade”.

No entanto, desta vez, os promotores teriam ficado satisfeitos com as condições de fiança que a Juíza Taryn Merkl havia estabelecido para o réu.

Imagem da capa de Dall-E, gráfico de Tradingview

2024-02-13 22:11